A parteira e o djim

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

E nasce
mais uma
resistência AFRO!

Finzinho de ano mas ainda tem muito coisa para acontecer. E assim participamos do lançamento do Instituto Tabono do contramestre e amigo Pingo (Ewerton Maurício).
AfroPoemas 2015

Como tradição já, novembro é época de nosso concurso solidário AfroPoemas.



O que nos contam os AfroCapixabas?

E também recebemos durante novembro - com grande prazer - @s amig@s Fábio e Claudia Pererê aqui em nossa região. Ainda com aquelas boas lembranças dos dias de Espírito Santo em agosto passado...
AfroPalabras de Mirta Portillo


Novembro bem agitado aqui na AfroEscola Laboartório Urbano e para as afrocontações: começamos o período com uma residência sociocriativa e artística com a grande narradora oral cubana Mirta Portillo.











Literaturas Negras, 
em exposição e em discussão


Entre 1 e 4 de outubro aconteceu em Diadema o IV Festival do Livro e Leitura com muitas atividades. Na sexta dia 2, as afrocontações marcaram presença em 2 momentos:

- um debate

- uma apresentação





quarta-feira, 30 de setembro de 2015

AfroHistórias mineiras dançadas

Um prazer poder ter participado da vivência dos Arturos...
AfroAndreenses
e outras histórias pretas do ABC

Um projeto para nós de muito significado em parceria com o Museu de Santo André Dr. Octaviano Gaiarsa...

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Museu + Histórias negras

A participação no 1° Encontro Estudantil de Histórias AfroBrasileiras, organizado pelo companheiro contador Fábio Pererê, foi o estímulo primordial para que chegassemos a Vitória, ao Espírito Santo. Mas a partir desse ponto, muitas outras coisas foram se encadeando.

A iniciativa, organizada na parceria com o grupo Filhos do Griô, ocupou por 3 dias o MUCANE - Museu Capixaba do Negro - além de promover outras conexões externas.














Umas histórias de quilombolas

Antes de sair na viagem de descoberta de novos mundos possíveis em Vitória / Espírito Santo, o UNIVERSO conspirou a favor: numa parada estratégica para descansar num sebo de São Paulo, após muito caminhar, achamos "meio sem querer" 3 exemplares de uma série intitulada História dos Quilombolas de um tal Maciel de Aguiar. Mal podíamos imaginar que um portal histórico estava se abrindo...






Nas terras de Congos 
e de Caxambus

Já sabemos que as histórias, principalmente as AFROHISTÓRIAS, podem ser contadas, cantadas, dançadas, degustadas. Mas quando deparamos com essas manifestações, distintas das que já temos familiaridade, aí não tem como não eriçar os pelos". É pura ancestralidade que penetra sem pedir licença...

Em vários momentos esse sentimento esteve presente na orgânica experiência que tivemos no Espírito Santo, lugar até então quase desconhecido.






Biblioteca em AÇÃO!!!

E depois de muitas organizações e reorganizações de materiais e de espaços aqui dentro da AfroEscola, finalmente conseguimos materializar o sonho de nossa biblioteca comunitária: no dia 2 de agosto de 2015, durante a Feira de Economias e Culturas Solidárias e Criativas GAIOLA ATMOSFÉRICA - uma de nossas atividades periódicas - fizemos a abertura oficial.


A ocasião não poderia ser melhor pois a feira, que é um evento mensal, sempre tem um tema específico. Agosto sempre é uma homenagem às produções escritas com o VIVA LITERATURA VIVA. Assim, abrimos nossas portas para mostrar um pouco do acervo que temos coletado ao longo de alguns anos.


O conteúdo de nosso acervo é variado mas logicamente tem alguns temas de maior interesse para nós: africanidades, interculturalidades, movimentos sociais. Também temos vários CDs, DVDs, FANZINES, entre outros itens.













Ainda faltam alguns acertos e a partir de setembro já divulgaremos uma programação mínima e dias e horários para visitação. É só aguardar as novidades!!!


obs.: muito agradecido aos primeiros visitantes de nossa biblioteca - Vandão + Marlene, Claudio + Odair + esposa

segunda-feira, 22 de junho de 2015

As histórias que 
transformam o mundo

E nesse ano de 2015, nossa participação se expande: além da postagem virtual de 3 afrocontos em  línguas distintas, também atrelamos a ação ao RODAS DE CULTURAS POPULARES na Vila de Paranapiacaba, Santo André, encontro que privilegia as manifestações regionais de nosso país.


terça-feira, 31 de março de 2015

AfroAudioContações

Baseado em nossas variadas vivências, acreditamos cada vez mais que são incontáveis as maneiras de contar / compartilhar histórias. E estamos tentando aproveitar TODAS as oportunidades para disseminar essa prática que consideramos uma necessidade social urgente para os tempos atuais, já que as intolerâncias, a falta de comunicação e a pouca afetividade parecem ocupar mais espaço.


Assim, nossa mais nova investida é no segmento da radiodifusão. E numa rádio comunitária, para ser mais coerente com nossos princípios. Trata-se do programa AfroEscola Radiofônica, feito em parceria com a educadora e comunicadora Fabi Menassi e que acontece todas as sextas, entre 12 e 13 horas, na Rádio Pérola da Serra da cidade de Ribeirão Pires, em princípio até setembro próximo.

Na verdade, a experiência é um pouco mais complexa, já que estamos produzindo 4 programas simultaneamente e apresentamos 1 diferente a cada semana ao longo do mês. Especificamente em 2 deles cabem as ideias de afroaudiocontações: NEGRO UNIVERSO, dedicado às africanidades, originais e da diáspora, e ARTE DE PIÁ, que privilegia a infância e a juventude.


Essa ação é parte do projeto AfroEscola Itinerante, apoiado pelo PROAC Proteção e Promoção das Culturas Negras. Para escutar nossas criações e participar (com sugestões e gravações próprias inclusive) é só sintonizar 87,5 FM, se estiver na cidade, ou www.radioperoladaserrafm.com.br.
AfroContos circulando

"E lá vamos nós", levando nossa proposta de narrações afrodescendentes para outros vários espaços, no país e no mundo...

Em abril estaremos participando do II Festival Nacional de Contadores de História de Ponta Grossa, no estado do Paraná. Uma semana intensa de atuações, apreciações e trocas, com outr@s artistas e educador@s de todo o Brasil e com o público entusiasta da linguagem. Mais informações sobre o encontro em www.facebook.com/contacaopg?fref=ts.


E em maio, viajamos a Argentina, em sua região mais ao sul, para o Festival Hablalapalabra. Organizado pela Escuela Patagónica de Narración Oral, está em sua quinta edição e terá uma agitada maratona de contações entre os dias 7 e 10 por Neuquén, Río Negro. Para saber mais, acesse www.facebook.com/escuelapatagonicadenarracionoral?fref=ts.


E é só o começo. Em 2015 queremos conquistar o mundo com as poderosas afrohistórias!!!

sábado, 28 de fevereiro de 2015

CANTO NEGRO 2015


E já estamos reiniciando nossa parceria com a Cia Cantando Conto (Ana Paula Moreira e Daniel Freitas). E também mantemos o contato com os sabores deliciosos da culinarista Maria Dias e seu Comida de Quintal.

Nessa nova temporada, teremos o apoio do PROAC Saraus Culturais para realizar intervenções em parques e praças da região do ABC paulista. Também serão realizados 3 workshops e algumas 3 publicações.

Nossa programação tem a seguinte configuração até o momento (ainda pode sofrer alterações):

- dia 28 de fevereiro, Parque Regional da Criança, Santo André
- dia 4 de abril, Parque Chico Mendes, São Caetano do Sul
- dia 27 de abril, Praça Ernest Solvay / Central, Ribeirão Pires
- dia 23 de maio, Chácara Silvestre, São Bernardo do Campo
- dia 13 de junho, Praça Central (?), Rio Grande da Serra
- dia ? de julho, Antigo Mercado, Vila de Paranapiacaba


workshops
- abril, São Bernardo do Campo
- maio, Mauá
- junho, Diadema

publicações (online e compartilhadas nas atividades presenciais)
- junho, áudio
- julho, revista
- agosto, vídeo


Para conhecer mais o trabalho do Cantando Conto, acesse www.cantandoconto.com. E sobre o empreendimento Comida de Quintal, www.marianicodemos.wix.com/comidadequintal.

Cidade Tiradentes e suas AfroHistórias

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

O lúdico, o histórico, 
o cultural, o educativo

Já sabemos que contar / ouvir histórias, além de divertir muito, informa, ensina, educa. Principalmente para nós, povos que tivemos outros recursos expropriados em certos períodos da História. O Festival HADITHI NJOO surgiu consciente disso e  já com a intenção de questionar e amenizar os efeitos dessas passagens.

Em 2014, realizamos diversas atividades e parcerias nas quais as possibilidades lúdicas, históricas, culturais  e educativas apareceram como foco. Um dos mais bacanas - e inusitados! - foi a produção de atividades e audiovisuais a partir das afrocontações para um projeto pedagógico: "Celebrando a África" é uma iniciativa do Sistema UNO de Ensino e tem o objetivo de estimular o debate e a introdução do tema no segmento da educação particular nacional.

Abaixo, confiram uma das filmagens que compõe o material. Mais informações sobre o projeto em www.sistemauno.com.br.

video